O Frete China-Brasil dispara e encarece produtos importados

acessórios baseados em imãs para celulares
Última versão do iPhone usa ímãs em seus acessórios
15 de dezembro de 2020
Trem flutuante de alta velocidade com imã de neodimio
Transporte de alta velocidade com tubo de imãs
15 de fevereiro de 2021
Mostrar todos

O Frete China-Brasil dispara e encarece produtos importados

Frete China - Brasil Dispara, Deixando Importados mais Caros

O ano de 2021 já começou com algumas mudanças significativas para o Brasil. O frete marítimo, na rota China-Brasil, disparou. No último trimestre de 2020 o custo das importações já sofria aumento, mas no início desse ano ele atingiu um patamar inédito de US$ 10 mil por TEU (medida padrão usada para contêineres), segundo levantamento de importadores e empresas de navegação. A exatamente um ano atrás, o custo dessa mesma rota estava na faixa dos US$ 2 mil por TEU.

Desde o mês de outubro vem ocorrendo o encarecimento dos fretes, devido a retomada mundial da economia e a maior procura pelos produtos chineses. Esse aumento não está acontecendo somente entre China e Brasil, as viagens da Ásia para Europa e Estados Unidos também atingiram valores acima da média, com mais de US$ 4 mil por TEU.

Esse aumento de preços se originou dos problemas logísticos e do grande descompasso entre oferta e demanda ocorrido ao longo de 2020. Entre março e julho, no auge da pandemia aqui no Brasil, foram canceladas 23 viagens de navios da China, isso significa que ficamos ao menos cinco semanas sem importações de contêineres do país.

Quando começamos a retomar os pedidos, começou também a recuperação da economia na Europa e nos Estados Unidos, levando a uma disputa acirrada por contêineres e embarcações. No início desse ano, praticamente todos os navios disponíveis no mundo estavam em uso, com isso os fretes dispararam.

Com a pandemia ocorreu a redução da eficiência na liberação das cargas em portos, terminais e armazéns, já que esses também foram impactados. Para tentar controlar a situação, as empresas de navegação acrescentaram 14 “extra-loaders” (navios adicionais), que ampliaram em cerca de 14% a capacidade na rota Xangai-Santos. Mesmo assim, essa medida não tem sido suficiente perante o número de demanda.

Com essa alta no preço, diversos setores sofreram reajustes nos seus preços, como por exemplo, produtos elétricos e eletrônicos. Segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), os reajustes do setor chegaram a marcar 90% de aumento.

Além de eletrônicos, a China é um grande exportador de roupas, e esse também é um setor que vai impactado com o aumento do frete. Os pedidos feitos pelo Brasil de roupas de inverno começaram agora, então é bem provável que tenhamos roupas mais caras que o normal nos próximos meses.

Segundo informações da Centronave, a disparada dos preços é fruto de uma combinação de fatores atípicos, ocorridos por causa da pandemia e o enfraquecimento econômico. A capacidade das companhias de ampliar a oferta, para reduzir fretes, é nula. Esse aumento de preços afeta apenas o mercado spot (com negociação imediata) e estima-se que entre 40% e 50% das importações da China para o Brasil sejam regidas por contratos anuais, com fretes mais estáveis.

Infelizmente no mercado, ainda existe muita incerteza sobre como os preços se comportarão ao longo do ano. A estimativa é que os preços continuem altos por mais dois ou três meses e depois comecem a sofrer pequenas quedas.

Tesla Ímãs
A Tesla Ímãs é uma das principais distribuidoras desse produto no Brasil. Ao comprar ímãs de neodímio com a empresa, você terá a certeza de adquirir um produto de qualidade, com um preço bastante competitivo e com prazos de entrega confiáveis
× Enviar WhatsApp